Arquivo do mês: novembro 2012

TALVEZ UM DIA NÃO IMPORTE QUEM VOCÊ É NEM DE ONDE VEIO E TAMPOUCO O QUE FAZ COM SEU CORPO NU


Democraticamente todo ser humano tem direito adquirido a lutar pela igualdade entre raças, sexo, credo religioso e a utilização da azeitona no pastel de carne. Se avançamos ou não na igualdade social ao longo dos anos é uma questão de ponto de vista de quem defende esta ou aquela classe. O próprio fato de dividirmos as pessoas por sua cor e opção sexual já deixa clara a discriminação.

Está para nascer o dia em que não vamos nos importar com isso. Será tão natural quanto torcer para um time de futebol. Isto não vai qualificar ou tirar o mérito de que é torcedor para um time, gosta de sertanejo, chupa um órgão sexual igual ao seu ou é um pouco mais moreno que o vizinho. A gente vai até fazer piada com isso e ninguém vai levantar uma bandeira de isto é humor negro.

Mulheres não terão mais um dia internacional, bem como homens não tem porque não precisamos enaltecer isso que somos desde que nascemos ou fomos criados a assumir e nos orgulhar.

Eu me orgulho de ter lutado para ter um emprego decente, ter uma família e amigos. Me orgulho de não me meter na vida de ninguém porque eu tomo conta da minha sozinho, mesmo cometendo erros que humanamente são aceitáveis.

Não mato, não desrespeito, não ligo para quem você é nem de onde veio. Trato igualmente meu chefe e o porteiro do prédio. Não gosto do taxista se metendo na minha conversa.
Continue lendo


RECEITA PARA KIBE

500g de trigo para kibe
500g de carne moída (patinho de preferência)
750 ml de água fervendo
2 cebolas ralada ou bem picadinha
Hortelã, pimenta de cheiro e sal a gosto

Coloque o trigo em uma forma de bolo, para espalhar bem. Despeje a água fervendo e deixe tampado com um pano de prato por 40 minutos, (a quantidade de água tem quer ser essa, por que não precisa escorrer). Coloque a carne moída , todos os temperos e o sal e misture bem. Experimente mesmo cru para ver a quantidade de sal. Enrole no formato de quibe frite em óleo quente ou asse no forno recheando com catupiry fica uma delícia.


SEXTA CHEIRA:TÍTULO MERAMENTE ILUSTRATIVO

Engraçado que não costumo pensar no que vou escrever em determinados momentos onde a necessidade de desabafar acontece. É como uma conversa, a gente não raciocina muito e as palavras saem da sua boca naturalmente. É claro que a gente tem que pensar um pouco antes de soltar qualquer absurdo. Não precisa ser nenhum gênio pra isso, nem completamente estúpido, basta ter só um pouco de atenção. É como evitar peidar na frente de um estranho.

E facilmente você se distraí com alguma coisa, é como perder o fio da meada no auge do raciocínio e foi exatamente isso que aconteceu comigo agora.

Perdi.


%d blogueiros gostam disto: